40 anos de F-5 no Brasil.
3101
post-template-default,single,single-post,postid-3101,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive
 

40 anos de F-5 no Brasil.

40 anos de F-5 no Brasil.

Neste mês de março a Força Aérea Brasileira completou 40 anos de operação com a aeronave Northrop F-5 no Brasil, nosso mais longevo modelo de caça. Adquiridos junto ao governo norte-americano , as aeronaves vieram voando, transladadas por pilotos brasileiros , sendo que os 3 primeiros aviões chegaram na Base Aérea de Belém em 6 março e no dia 12 do mesmo mês em seu novo lar, a cidade do Rio de Janeiro. O esquadrão operou temporariamente na Base Aérea do Galeão, aguardando o término das obras em seu futuro e definitivo lar, a Base Aérea de Santa Cruz.

Neste contrato a FAB adquiriu 42 caças, sendo 6 do modelo biplace, para treinamento ( F-5B ) e 36 monoplaces do modelo F-5E. Com duas turbinas a jato e possibilidade de atingir uma velocidade de até 1.316 km/h, o caça era equipado com dois canhões de 20mm e mísseis ar-ar SideWinder. Foi, sem dúvida, um grande avanço para a defesa aérea do país, com as aeronaves  executando missões de interceptação, patrulha aérea de combate e escolta, reconhecimento aéreo e socorro em voo. O F-5 foi também a primeira aeronave brasileira com capacidade de reabastecimento em vôo, o que levou a Força a adquirir reabastecedores KC-130, elevando ainda mais a proficiência da Defesa Aérea. No final de 1976 12 aeronaves modelo F-5E foram transladadas para Canoas, RS, equipando o 1/14 GAv. Atualmente, as aeronaves já cumpriram quase 285 mil horas de voo pela FAB.

Reposições – Durante a década de 80 a FAB buscou adquirir mais aeronaves a fim de recompletar  os 3 esquadrões , desfalcados devido a acidentes nas operações. Em complementação ao modelo F-5B foram comprados 4 unidades do modelo F-5F, bem superior ao antigo biplace, e mais 22 unidades do modelo F-5E. Estes últimos foram usados pelos norte-americanos em sua unidade “aggressor” , como treinamento de combate ar-ar ,na famosa Base Aérea de Nellis. Devido a diferenças entre os lotes , todos passaram por uma revitalização no PAMA-SP.

Modernização – Um contrato de modernização foi assinado entre a FAB e a Embraer e, a partir de 2006 até o ano de 2013, toda a frota foi modernizada, com upgrades que incluiram a troca do radar, dos sistemas de bordo e dos armamentos. A aeronave conta hoje com equipamentos como um sensor de mira acoplado ao capacete,  que pode ser utilizado para guiar os mísseis com o movimento da cabeça do piloto.

Hoje, modernizados, os F-5 integram quatro esquadrões da FAB: o Pampa, sediado em Canoas (RS); o Pacau, sediado em Manaus (AM); o Jambock e o Pif Paf, sediados em Santa Cruz (RJ).

Fontes: Fab, rudnei.cunha

Fotos:  Foto 1 – F-5E Tiger ll na Base Aérea de Florianópolis, em 1990. (oriunda dos aggressor)

Foto 2 – F-5EM durante Cruzex 2013, em Natal. (adquirida em 1975)

.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.